CPEM Seu Carro, Sua Casa Sobre Rodas | CPEM

Seu Carro, Sua Casa Sobre Rodas

  Home  
  Nosso Trabalho  
  Currículo  
  Livros Publicados  
  Medo Andar de Avião  
  Medo de Dirigir  
  Medos e Fobias  
  Síndrome do Pânico  
  Carro Extensão da Casa  
  Imprensa - Últ. Notícias  
  Estudos Científicos  
  Links Úteis  
  Contato  
     
     
     
     
     
Livro Vença o Medo de Dirigir - Selo 8 anos
Novo título : ” Seu carro – sua casa sobre rodas – que tipo de motorista você é?”
Lançado com o título:” Síndrome do Caracol: Seu carro sua casa sobre rodas”
Nota

Alteração do título se deu em função da palavra síndrome não ter despertado a motivação dos leitores. A idéia inicial era falar sobre a semelhança entre o molusco caracol que leva sua casa nas costas e o ser humano que leva ambientes da sua casa no carro.

A psicóloga Neuza Corassa em seu livro “Seu carro – Sua casa Sobre Rodas – que tipo de motorista você é ?“, num estilo de conversa com o leitor, analisa estas tendências individualistas e de identificação. O indivíduo não apenas se identifica com o carro, mas junto a ele leva comôdos da sua casa inteira.

Assim como os diversos cômodos de sua casa tem papéis diferentes, ele impõe estes papéis a seu carro, não tudo de uma vez, mas, num momento o papel de sala de estar, quando as pessoas preferem sair num único carro para conversar; copa/ cozinha, quando fazem refeições no carro; escritório, com o carro parado dar retorno das ligações e manusear documentos; quarto, é utilizado por algumas profissões para um cochilo no intervalo do trabalho; sala de som, os cds preferidos são levados para o carro; despensa, ao transportar as compras ou estocar algo no carro; banheiro/toucador, retocar a maquiagem, trocar fraldas do bebê.

Depois de uma visita ao carro-casa, ela leva o leitor, o parceiro na conversa, para dar um passeio pelos vários processos psicológicos, principalmente os ligados as emoções. O carro e tudo o que está em volta dele evocam emoções, as quais, muitas vezes, sao ligadas a valores que podem mudar de significado através da história. Além disso, o carro também pode proporcionar grandes alegrias, e é um lugar de união da família.

O carro pode se tornar também um objeto de medo e pavor, que inibe a pessoa com CNH (Carteira Nacional de Habilitação) no bolso e com carro na garagem e não lhe permitem entrar no trânsito.

Em seguida, a autora leva o leitor a uma observação psicológica sobre os motoristas, distinguindo cinco tipos: os Donos do Mundo, os de Comportamento Mascarado, os Cautelosos, os Ansiosos ou Fóbicos e os Perigosos por Natureza, convidando o leitor a observar seu próprio comportamento e o dos outros, para ver a que tipo mais se assemelha. Sem querer ser moralista, dirige o leitor para conceitos de quem seria um bom e quem seria um mau condutor. Ela fecha essa parte com considerações sobre os diversos transtornos de personalidade que podem induzir a pessoa a acidentes e infrações.

Após a análise das diversas maneiras de ser dos motoristas, ela leva o leitor para uma análise dos diversos fatores que influenciam nosso comportamento no trânsito, como os papéis que desempenhamos na vida, a influência da família, os fatores e tendências de temperamento e personalidade e os estados alterados por estresse, álcool, drogas e sonolência.

Tudo isto representa uma etapa do diagnóstico, em que cada um pode se reconhecer e ver como está se desviando da imagem ideal do bom motorista: seguro, cuidadoso, com respeito para a vida dos outros e dele mesmo e que por isso obedece as regras.

Neuza não seria psicóloga se, depois de todos esses diagnósticos e análise de fatores, não oferecesse sugestões para chegar mais perto desse ideal do bom motorista. São vários os caminhos que ela indica, variando de modificações de hábitos para exercícios físicos que podem predispor a pessoa a comportamentos mais equilibrados em resposta a dificuldades.

Para dizer a verdade, o livro de Neuza não é bem um livro que deve ser lido de uma só vez. É muito mais um livro de cabeceira, a ser lido em doses homeopáticas, refletindo, discutindo e aplicando, pois acho que somente assim responderia aos anseios da autora que, antes de mais nada, quer que o comportamento do leitor no trânsito seja seguro, conscientizado por meio do auto-conhecimento e do melhor conhecimento dos fatores que o afetam.

À autora meus parabéns e aos leitores bom proveito.
Reinier J. A. Rozestraten
Dr. em Psicologia – autor do prefácio deste livro

E mais… O livro aborda também:

1)
Viagem de férias dentro de um carro com pessoas perfeccionistas e outras não;
2)
Homens e mulheres brigam de maneira diferente no trânsito;
3) Pessoas dão nomes aos carros;
O livro serviu de apoio para importantes matérias nacionais. Veja o resumo a seguir:

Globo News
Sábado 30 de abril de 2006.
Você que está se preparando para sair de casa já parou para pensar que tipo de motorista é? Calmo ou ansioso? A psicóloga Neuza Corassa especialista em trânsito pesquisou o comportamento dos motoristas durante 10 anos e definiu 5 tipos: os donos do mundo, os de comportamento mascarado, os cautelosos, os ansiosos e os perigosos por natureza.
A psicóloga coloca que muitas vezes o motorista enxerga o carro como um território particular, como se estivesse em casa…sobre este grande laboratório que é o trânsito, está no livro que está sendo lançado “Síndrome do Caracol – Seu Carro: Sua Casa sobre Rodas”.

Revista Época
12 de junho de 2006.
“A vida moderna acabou transformando os carros em extensões de casa. Ao se deslocar de um lugar para o outro, as pessoas acabam utilizando os veículos como quarto, cozinha, sala de estar, escritório e até banheiro”, afirma a psicóloga Neuza Corassa, do Centro de Psicologia especializado em Medos e Autora do livro Síndrome do Caracol-Seu Carro: Sua Casa sobre Rodas.

Folha de São Paulo
Domingo,25 de junho de 2006.
“O tempo no trânsito não pode ser visto como um tempo perdido. Ele tem que ser incorporado a vida… assim as pessoas deveriam encarar as horas gastas no caminho do trabalho para não estressar.
Há motoristas que ficam pouco tempo num congestionamento e se irritam mais do que outros que gastam horas nesta condição. A irritação aumenta os riscos de acidentes e os comportamentos violentos no trânsito”, diz a psicóloga Neuza Corassa, autora do livro Síndrome do Caracol- Seu Carro: Sua Casa sobre Rodas.

Dr. Jack Szymanski
Especialista em Medicina de Tráfego
21 de maio de 2006.
No livro Seu Carro: Sua Casa Sobre Rodas…. Além de falar dos ambientes da casa que levamos no carro; dos tipos de motoristas e o seu comportamento no trânsito em função de cada tipo de personalidade, levanta fatores que influenciam nossa maneira de agir ao conduzir nossos veículos, nos proporcionando um espelho interessante de nossas ações para reflexão.

CRP/8a.região– Conselho Regional de Psicologia
Muitas pessoas passam boa parte do seu dia no trânsito. Porém, o ato de dirigir tem as suas peculiaridades, podendo desvendar as características da personalidade do condutor ou provocar pânico em algumas pessoas, impedindo-as de sair com o carro. Para falar sobre este tema, a Revista Contato entrevistou a psicóloga Neuza Corassa, autora dos livros Vença o Medo de Dirigir e Síndrome do Caracol.

Editora Jurua www.jurua.com.br

Comportamento Humano no Trânsito:

Estudos, pesquisas e o livro “Seu Carro – Sua Casa Sobre Rodas – Que tipo de motorista você é?” tem como objetivo levar a pessoa a ter consciência que ao sair da sua casa e entrar no seu carro que é um espaço privado (carro-casa) vai se comportando como se estivesse em casa, num espaço público (o trânsito). E isto poderá ser um fator de conflito.

Precisamos despertar em cada um de nós que o trânsito é um espaço único. Em outras situações as pessoas se reúnem por afinidade, como: escola, campo de futebol, religião. No trânsito não.

É com certeza um dos espaços mais democráticos: nele convivem o rico e o pobre, o letrado e o analfabeto, o religioso e o ateu, a criança, o jovem e o adulto.

Apesar dos problemas, é intensa a vida que corre ali. É bastante interessante pensarmos que na linguagem muda das placas, dos sinais e das setas dizemos ao outro, da nossa intenção.

Coisas simples e importantes também acontecem no trânsito. Enquanto dormimos, o feirante é um dos primeiros a passar por ali, com os alimentos que mais tarde estarão nas nossas mesas . Assim também o médico,o motorista de ônibus,o advogado,o jornalista,o mecânico,o professor,o padeiro… para o exercício de suas atividades . Por isso a necessidade de estarmos conscientes que este espaço é coletivo.

CPEM – Centro de Psicologia Especializado em Medos
Telefone: (41) 3225-1689
Email: medos@medos.com.br | Site: www.medos.com.br

Veja mais em imprensa

Rua Voluntários da Pátria, 301 – 1º andar – Conj. 11
Edifício Palais D’Avignon – Próximo ao Palácio Avenida | Centro – Curitiba/PR
Fone: (41)3225-1689